Divã Veterinário
Doenças

Entendendo o espirro reverso

Mayra Catharino10 comments785 views

O espirro reverso possui um nome engraçado, afinal dificilmente conseguimos imaginar o oposto de um espirro. Mas, apesar desse nome divertido, os primeiros episódios de espirros reversos não são nem um pouco agradáveis. Como consiste em episódios de intensa dispneia inspiratória (dificuldade de “puxar” o ar), geralmente os donos ficam desesperados. – Mas para o bem do coraçãozinho dos cachorreiros, esses episódios são extremamente curtos. Geralmente não passam de 1 ou 2 minutos.

Mas afinal, que raios é esse tal de espirro reverso?

As causas são incertas, porém acredita-se que está associado com irritações na nasofaringe que desencadeiam um reflexo de fechamento, protegendo as vias respiratórias, porém dificultando temporariamente a inspiração.

Entre as irritações que podem desencadear o espirro reverso estão a ingestão de líquidos, corpos estranhos – como por exemplo pedaços de grama –, neoplasias, parasitas e infecções. Também são comuns acessos em animais que passaram por uma intubação recente. Como podemos perceber, as causas são variadas e de gravidades diferentes.

espirro reverso 1

Então, devo me preocupar?

Acalme-se! Não saia correndo desesperadamente para o pronto-socorro veterinário. Os episódios na sua maioria são autolimitantes, ou seja, os sinais desaparecem por si só, sem necessidade de intervenção.

Porém é extremamente importante acompanhar se esses episódios ficam mais intensos, mais longos, mais frequentes ou se algum outro sintoma aparece, como por exemplo secreção nasal, intolerância ao exercício e síncope (desmaio). – Além de claro, deixar o médico veterinário ciente que o animal apresenta espirros reversos.

Esses episódios são comuns em cães, principalmente em raças pequenas. O pet tende a apresentar isso durante toda sua vida e não tem caráter progressivo. – Como já foi dito, se notar aumento de frequência, intensidade ou duração deve-se procurar um médico veterinário.

espirro reverso 2

E você deve estar se perguntando: “Ok, eu entendi que não é para me descabelar. Mas não há nada o que eu possa fazer para ajudar meu animal?”

Como esse fechamento da nasofaringe ocorre naturalmente pelo movimento de deglutição e cessa quando a língua volta para sua posição normal, induzir o animal a engolir – tampando-lhe as narinas e massageando a região do pescoço – pode parar o episódio. Simples assim!

E isso é tudo por hoje! Espero você tenha gostado desse post. Não esqueça de COMENTAR para que eu saiba sua opinião sobre a matéria e de COMPARTILHAR para me ajudar a levar essa informação à outras pessoas.

Um abraço especial para minha amiga Yasmim, que me sugeriu o tema, e para sua spitz linda, Capitu.

Um SUPER beijo e até a próxima!


Literatura utilizada:

  1. BIRCHARD, S.J.; SHERDING, R.G. Manual Saunders: Clínica de Pequenos Animais, 3 ed. São Paulo: Roca, 2008, 2072p.
  2. ETTINGER,S.J.; FELDMAN E.C. Tratado de Medicina Interna Veterinária – Doenças do Cão e do Gato, 5 ed., 2v, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004, 2236p
  3. HEDLUND C.S.; TABOADA J. Clinical Atlas of Ear, Nose and Throat Diseases in Small Animals: the case based approach.  Hannover, Alemanha: Schlutersche, 2002, 208 pp.
  4. NELSON, R.W; COUTO, C.G. Medicina Interna de Pequenos Animais, 4 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010, 1468p.

Redes sociais do blog: Facebook ♥ Instagram ♥ Twitter ♥ Youtube.

Direitos Autorais das imagens | Copyright – clique aqui.

 

Mayra Catharino
Médica Veterinária pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), apaixonada por fotos e bichos. Enxergou na internet a oportunidade de ajudar pessoas e pets, se encantando pela blogosfera, criando assim o Divã Veterinário. Para saber mais, clique aqui

10 Comments

  1. Minha cachorrinha tem principio de espiro reverso sempre a noite e pela manhã, acontece umas 4 vezes na noite. isso é normal? tem algum anti-histaminico que possa dar para ela?

    1. Como eu disse no post, isso é muito comum.
      Só é necessário ficar de olho, caso aumente significativamente o número de espirros reversos é bom consultar o médico veterinário dele.
      Não há necessidade de anti-histamínico para crises pequenas assim. Mas isso fica a cargo do veterinário dele.

      Abraços!

  2. Adorei seu blog! Minha Paçoca tinha esses acessos com mais frequência, agora vem diminuindo… Mas estava bem preocupada. Como os espirros estão bem menos constantes e agora com sua explicação fico bem mais tranquila, e na próxima visita de rotina ao veterinário vou mencionar o quem vem acontecendo a ele. Obrigada!

    1. Oi, Aline!

      Fico tão feliz em saber que a matéria foi útil e ainda mais, que te auxiliou a explicar ao veterinário o que acontece com seu cão e te deixar mais tranquila. Fico muito feliz por isso!
      Obrigada pelo comentário e pelo carinho.

      Abraços!

  3. Meus dois cães já tiveram episódios desse espirro. A primeira vez eu quase morri do coração, depois me “acostumei”, mas graças a Deus eh bem raro. Post mto útil… Ate mais,abraços.

    1. Todo mundo quando presencia um episódio de espirro reverso acaba se assustando, é inevitável! Eu lembro quando eu era caloura e no meu estágio um cachorro começou apresentar espirros reversos após ser desentubado. Fiquei assustadíssima achando que o cachorro tava passando mal, mas na verdade era só irritação temporária pela sonda, coisa de alguns minutos ele parar com a crise.
      Resolvi fazer o post, pois minha amiga passou pela mesma situação que a sua e não encontrou nenhuma matéria que pudesse acalmar seu coração. Fico feliz em saber que está de fácil entendimento e que é útil para as pessoas.
      Abraços!

  4. Olá.., ha algum tipo de remedio que possa ser usado para tratamento do espirro reverso?? O vet do meu yorkshire disse que irá receitar um remedio, mas nao encontro na net nda falando sobre isso. Obrigada!

    1. Olá Jordana,

      Depende da causa primária. Se o médico veterinário descobriu a causa dessa irritação, provavelmente está tentando tratá-la.
      Caso não ache nenhuma causa aparente, a literatura fala que administrar anti-histamínicos auxiliam em alguns casos na diminuição da frequência e da intensidade. Lembrando que administrar remédios por conta própria pode colocar a vida do seu pet em risco.
      O uso de anti-histamínico é algo empírico, que eu saiba não há nenhum estudo abordando isso. Em casos de dúvidas, a melhor coisa é pedir uma explicação para o profissional que está atendendo o animal, principalmente que há muito informação errada na internet. Questionar e desenvolver uma confiança no médico veterinário é essencial.
      Espero ter ajudado.

      Um SUPER abraço!

  5. Ameiiii! Se tivesse achado um post assim antes, nao teria me descabelado tanto! E claro, amei ainda mais o abraço especial!! Eu e Capitu agradecemos!!

Gostou? Então comenta!