Divã Veterinário
Caninas

Mania de Raça: Spitz Alemão Anão

Mayra Catharino7 comments3153 views

O Mania de Raça está de volta e hoje vamos falar sobre um cão que virou febre nesses últimos anos: O Spitz Alemão Anão.
Para saber mais sobre esse cachorro que parece uma mini-raposinha, aperta o play! Tá esperando o quê?

Como dito no vídeo, segue a relação de doenças que essa raça é propensa a desenvolver. As principais doenças que acometem o Spitz Alemão são:

  • Luxação de patela – Ocorre quando a patela (ossinho do joelho) sai do lugar. Esse deslocamento pode causar uma série de sinais, os mais comuns são a claudicação (mancar), dor e relutância em se mover.
  • Atrofia progressiva da retina – É uma doença hereditária (ou seja, passa de geração para geração). Cães afetados geralmente mostram uma cegueira noturna inicial que é seguida por uma perda progressiva de visão diária, culminando em cegueira completa.
  • Displasia da retina
  • Diplasia coxofemoral – Doença hereditária caracterizada pela má formação da articulação do quadril, causando uma incongruência (encaixe imperfeito) entre a cabeça do fêmur e a pelve (bacia), ocasionando degeneração da própria articulação. Os sintomas mais comuns são: Diminuição da atividade física; dificuldade para se levantar; relutância em correr, saltar ou subir escadas; claudicação (mancar) e dor.
  • Epilepsia Idiopática Genética Primária – É um doença hereditária caracterizada por um funcionamento anormal do cérebro, apesar da órgão possuir uma estrutura morfológica normal. A causa é desconhecida e o principal sintoma é a convulsão.

E é importante ressaltar que animais com essas doenças NÃO devem cruzar, ou seja, não devem ter filhotes!
Tratam-se de doenças com características hereditárias e por isso atenção na hora de escolher o criador é essencial. Sempre opte por criadores profissionais que se preocupem com o bem-estar, nutrição e com a seleção genética dos animais, pois assim evitamos cães doentes.

Essa pequena e linda criatura, que super parece com uma raposinha, vive em média 12 a 14 anos. E são anos de puro amor e companheirismo.

E aí, deu vontade de ter um Spitz Alemão Anão para chamar de seu? Me conta nos comentários! Sugestões para os próximos assuntos também são mega bem-vindas.

Aproveita e segue o blog nas redes sociais, assim você fica sabendo primeiro sobre tudo que acontece por aqui: Facebook ♥ Instagram ♥ Twitter ♥ Youtube ♥ Pinterest.

Um SUPER beijo e até a próxima!


OBS: Esse post foi escrito em 06/04/2016 e atualizado em 25/04/2017 para ter um conteúdo em vídeo!

Literatura utilizada:

  1. FEDERATION CYNOLOGIQUE INTERNACIONALE. Deutscher spitz. Disponível em: <http://www.fci.be/en/nomenclature/german-spitz-97.html>. Acesso em: 06 abr. 2016.
  2. GERMAN SPITZ WORLD. Disponível em: <http://www.germanspitzworld.co.uk/index.php>. Acesso em: 06 abr. 2016.
  3. AMERICAN KENNEL CLUB. German spitz. Disponível em: <http://www.akc.org/dog-breeds/german-spitz/detail/>. Acesso em: 06 abr. 2016.
  4. TILLEY, L. P; Smith Jr, F. W. K. Consulta veterinária em 5 minutos: Espécies Canina e Felina. Trad. Cid Figueiredo, Fabiana Buassaly, Idília Ribeiro Vanzellotti. 3 ed. Barueri, SP: Manole, 2008. 1550 p.
  5. CLEMENTS, P. J. M. et al. Recent advances in understanding the spectrum of canine generalised progressive retinal atrophy. Journal of small animal practice. University of CambridgeCambridge, EUA, v. 37, p. 155-162, abr. 1996. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1748-5827.1996.tb01950.x/abstract>. Acesso em: 25 abr. 2017.
  6. M.M.D. Souza et al. Luxação de patela em cães: estudo retrospectivo . Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia – UNESP, Botucatu, v. 61, n. 2, p. 523-526, 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abmvz/v61n2/a35v61n2.pdf>. Acesso em: 25 abr. 2017
  7. OFTALMOLOGIA ANIMAL. Atrofia progressiva de retina (apr) em cães. Disponível em: <http://www.oftalmologianimal.com.br/2012/05/atrofia-progressiva-de-retina-apr-em.html>. Acesso em: 25 abr. 2017.

Direitos Autorais das imagens | Copyright – clique aqui.

Produzido e editado por Lucas Rodrigues.

Mayra Catharino
Médica Veterinária pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), apaixonada por fotos e bichos. Enxergou na internet a oportunidade de ajudar pessoas e pets, se encantando pela blogosfera, criando assim o Divã Veterinário. Para saber mais, clique aqui

7 Comments

  1. Mto legal tuas dicas e informações, adquiri um casal de Lulu e estou apaixonado pela raça.
    Não vivo mais sem eles.

  2. A minha foi diagnosticada com síndrome de Arnold Chiari, com 4 meses, vive bem, porém e dependente de dexametasona, agora com 1 ano e 4 meses.

    1. Meu Deus, essa é uma doença séria. Ainda bem que ele está bem, vive com qualidade.
      Lembre-se que esse cachorrinho não pode procriar, tá bom?
      Ainda não se sabe ao certo o que causa essa deformação do osso occipital, mas acredita-se ser um transtorno genético de desenvolvimento. Não queremos mais animais doentes, né?!
      Se tiver instagram, marca o blog na foto do seu pet 🙂

      Abraços!

  3. Muito bom o seu post!
    Perdi o meu Spitz (o Tobi-Wan Kenobi) há pouco mais de um mês, por um problema no fígado. Ele ainda iria fazer 7 anos e até agora nenhum dos veterinários conseguiu me explicar bem o que houve.
    Só posso falar bem desses grandes companheiros. São muito carinhosos, cuidam de quem eles gostam, são bonzinhos demais, resolvem qualquer bronca com uma lambida de desculpas, rsrs. Enfim, são apaixonantes.
    Parabéns pelo site!

Gostou? Então comenta!