Divã Veterinário
Produtos

Resenha: Coleira Cabresto K-9 Spirit

Mayra Catharino3 comments832 views

Um produto que promete facilitar os passeios, evitando puxões. Mas será que essa coleira cabresto cumpre seu papel? Quer saber a minha opinião ? Então vem comigo!

coleira cabresto 1

Conheci esse produto através do Instagram do Matilhando, empresa do Roberto Medeiros, um comportamentalista e educador canino. Ao perguntar sobre a coleira, Roberto afirmou que se tratava de um instrumento que auxiliava no passeio de cães que puxavam muito. Problema esse que eu enfrentava diariamente.

Parece besteira, entretanto um cão que consegue te puxar, pode ocasionar graves acidentes. Hugo, meu cachorro, quase foi atropelado duas vezes e já me derrubou no asfalto, me machucando. E pasmem, meu mascote só tem 20kgs!

IMG_20160127_200427282B

Encantada pela possibilidade de um passeio tranquilo, adquiri a minha por R$42,90 em um petshop local. – Esse é o preço somente do cabresto, sem a guia.

Seu mecanismo é bem simples: Toda vez que o animal tentar te puxar, a coleira fará um movimento lateral com o focinho do cão, impedindo-o de prosseguir puxando. – Ela não funciona como focinheira, pois permite que o animal abra a boca normalmente. Apesar de ter me salvado de um possível assalto… O meliante achou que o cão era bravo e estava de focinheira, hahahaha!

coleira cabresto 2

Meu colega Alberto, que também estuda comportamento canino, já havia me preparado psicologicamente para as TERRÍVEIS primeiras semanas de adaptação. Hugo tentou retirar o cabresto com a pata, se jogava nos matos que via, começava andar para trás… Parecíamos dois malucos na rua!

O segredo nessa fase é continuar a andar, ou seja, chamar a atenção do cachorro de volta ao passeio. Aos poucos ele vai se acostumar com a nova coleira, basta ter paciência.

O que não esperava era meu despreparo na hora de ajustar o cabresto. Por dó, acabei deixando frouxo demais, o que permitiu Hugo se soltar. E o Hugo se soltar não é algo simples! Ele começa a seguir a própria cabeça, guiado por sua curiosidade e nem olha para trás. Foi DESESPERADOR! A sorte que consegui manter um pouquinho de calma, e conhecendo meu bairro, sabia que ele ficaria no portão de uma vizinha, latindo para os cachorros dela.

Esse problema pode ser evitado seguindo CORRETAMENTE as instruções (segue abaixo o vídeo, da K-9 Spirit, sobre como ajustar). A coleira NÃO machuca, somente incomoda o cachorro. E isso até ele se adaptar. Não precisa ter pena, ok?!

Dica da Má: Ao ajustar a coleira, posicione a faixa do pescoço logo abaixo da orelha. Se ajustar mais embaixo, na hora que a coleira ficar na posição adequada, haverá uma folga no focinho e o cão irá se soltar.

Outra coisa que pode assustar é que os pelos da região do focinho ficam amassados. Isso dá a impressão que a coleira estava comprimindo a área e machucando. Mas é só  impressão devido a pelagem amassada. A coleira não compromete a respiração, nem a circulação. – Só se você for sem noção e apertar loucamente na hora de ajustar o cabresto.

coleira cabresto 3

Alguns cães podem apresentar áreas de hipotricose – diminuição dos pelos – no focinho. Uma paradinha no uso, aliada a um suave reajuste – soltar um pouquinho – na hora de voltar a usar, pode ser o suficiente.

A coleira é confeccionada com poliéster, um material bem resistente.  Possuo também a guia da mesma marca, do mesmo material, e nunca deixou a desejar. Apesar de aparentar ser desconfortável,  também nunca machucou minha mão.  – Algo importante ao se falar de cães que puxam muito.

O cabresto possui duas travas de segurança, uma na fivela do pescoço e outra no ajuste do focinho. Elas foram desenvolvidas para, caso haja ruptura de algum desses elementos, o cachorro não se solte. No meu caso, as travas jamais foram necessárias, porém fico mais tranquila com elas ali, né?!

Após superar meu trauma, por erro no ajuste, e as semanas de adaptação, a coleira foi paixão total. Ela deixou os passeios MUITO mais seguros. Não impede o primeiro puxão, mas impede que o Hugo saia me arrastando.

coleira cabresto 4

E não se engane, a coleira não é mágica! Ela não vai impedir que seu cão reaja aos estímulos da rua, só impedirá a consequência disso que é sair te puxando. Para um cãozinho mais tranquilo é necessário um trabalho de adestramento e reeducação. –  A coleira também pode auxiliar nesses trabalhos.

E por hoje é isso! Desculpem a resenha quilométrica, mas o produto necessitava de uma matéria detalhada.

Um SUPER beijo e até a próxima!


Direito autorais das imagens: Todas as fotos dessa matéria são de minha autoria e podem ser utilizadas com os devidos créditos.

Redes Sociais do Divã Veterinário: Facebook | Instagram | Twitter | Youtube

Mayra Catharino
Médica Veterinária pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), apaixonada por fotos e bichos. Enxergou na internet a oportunidade de ajudar pessoas e pets, se encantando pela blogosfera, criando assim o Divã Veterinário. Para saber mais, clique aqui

3 Comments

    1. Fico feliz que tenha gostado do texto, que ele tenha te ajudado.
      Tem uma nova versão chamada K-9 Collar, eu testei e acabei gostando mais que a cabresto. Ela é mais confortável para o cachorro.

      Abraços!

Gostou? Então comenta!